Cuidado com o sol!

Radiação Solar

Não faça do sol um inimigo. Aprenda como aproveitar o verão sem estragar a sua saúde. Com a redução da camada de ozônio, os raios ultravioletas irradiados pelo sol atingem a Terra com maior intensidade, agredindo a sua pele e podendo até causar câncer. Para evitar queimaduras e problemas futuros como cancer de pele, faça de alguns cuidados uma rotina.

  • Evite a exposição ao sol das 10 às 16h, quando o sol é mais intenso;
  • Utilize a proteção adequada nos outros horários: chapéus, guarda-sóis, óculos escuros e filtros solares com fator de proteção (FPS) 15 ou mais. Aplique 30 minutos antes da exposição ao sol e sempre que sair da água.

Mas não se esqueça: o protetor solar não lhe garante segurança total, evite exageros e muito cuidado com as crianças. Lembre-se de reaplicar o protetor solar em exposições solares prolongadas.

Qualquer sinal ou mancha na pele, procure o seu dermatologista.

Radiação Solar

O câncer mais freqüente é o de pele correspondendo a cerca de 25% de todos os tumores diagnosticados em todas as regiões geográficas do Brasil. Nos últimos anos essa incidência vem aumentando rapidamente, e tem alarmado a comunidade médica.

A radiação solar é, sem dúvida, um dos mais importantes agentes envolvidos na etiologia do câncer de pele.

Dentro do espectro solar, a radiação ultravioleta B (UVB) é a responsável pela maioria dos efeitos carcinogênicos (que dão origem ao câncer) na pele. A UVB é mais intensa entre 10 e 16 horas, sendo aconselhável evitar exposição solar durante este período. A radiação ultravioleta A (UVA) induz ao fotoenvelhecimento e parece estar relacionada com o desenvolvimento do melanoma maligno. Uma diferença importante entre a radiação UVA e UVB é que a intensidade da UVA é a mesma durante todo o dia e também não muda com a estação do ano.

Nosso país situa-se geograficamente numa zona de alta incidência de raios ultra-violeta. As pessoas de pele clara e que se expõem ao sol muito e descuidadamente, seja por trabalho, seja por lazer, são as que apresentam maior risco. Dois mecanismos podem estar envolvidos na indução do câncer de pele por raios UV: alteração do ADN – ácido desoxirribonucléico – pela formação de dímeros de pirimidina, e a supressão imunológica. Os pacientes com xeroderma pigmentoso, uma afecção caracterizada por um defeito hereditário dos mecanismos de reparação do ADN, são particularmente suscetíveis à ação carcinogência dos raios UV.

Como se Proteger da Radiação Solar

As pessoas que se expõem ao sol de forma prolongada e freqüente, por atividades profissionais e de lazer, constituem o grupo de maior risco de contrair câncer de pele, principalmente aquelas de pele clara. Porém devemos lembrar que mesmo as pessoas de pele morena e negras podem desenvolver câncer de pele.

As crianças, geralmente, se expõem ao sol três vezes mais que os adultos. Pesquisas indicam que a exposição cumulativa e excessiva durante os primeiros 10 a 20 anos de vida aumenta muito o risco de câncer de pele,mostrando ser a infância uma fase particularmente vulnerável aos efeitos nocivos do sol sobre esse órgão.

O clima tropical, a grande quantidade de praias, a idéia de beleza associada ao bronzeamento, principalmente entre os jovens, e o trabalho rural favorecem a exposição excessiva à radiação solar.

Para a prevenção não só do câncer de pele como também das outras lesões provocadas pelos raios UV é necessário evitar a exposição ao sol sem proteção. É preciso incentivar o uso de chapéus, guarda-sóis, óculos escuros e filtros solares durante qualquer atividade ao ar livre e evitar a exposição em horários em que os raios ultravioleta são mais intensos, ou seja, das 10 às 16 horas. As crianças que praticam esporte e atividades ao ar livre devem utilizar protetor solar diáriamente.

Grandes altitudes requerem cuidados extras. A cada 300 metros de altitude, aproximadamente, aumenta em 4% a intensidade da vermelhidão produzida na pele pela luz ultravioleta. A neve, a areia branca e as superfícies pintadas de branco são refletoras dos raios solares. Portanto, nessas condições, os cuidados devem ser redobrados.

Considerando-se que os danos provocados pelo abuso de exposição solar é cumulativo, é importante que cuidados especiais sejam tomados desde a infância mais precoce.

Filtros Solares – Recomendações

Os filtros solares são preparações para uso tópico que reduzem os efeitos deletérios da radiação ultravioleta.

Porém, cuidado! Nem todos os filtros solares oferecem proteção completa para os raios UV-B e raios UV-A. Além disso, suprimem os sinais de excesso de exposição ao sol, tais como as queimaduras, o que faz com que as pessoas se exponham excessivamente às radiações que eles não bloqueiam, como a infravermelha. Criam, portanto, uma falsa sensação de segurança e encorajam as pessoas a se exporem ao sol por mais tempo.

Devemos, portanto, entender que o uso do filtro solar não tem como objetivo permitir o aumento do tempo de exposição ao sol, nem estimular o bronzeamento. É importante lembrar, também, que o real fator de proteção varia com a espessura da camada de creme aplicada, a freqüência da aplicação, a perspiração e a exposição à água.

É recomendado que durante a exposição ao sol sejam usados filtros com FPS de 15 ou mais.Também devem ser tomadas precauções na hora de se escolher um filtro solar, no sentido de se procurarem os que protegem também contra os raios UV-A. Os filtros solares devem ser aplicados antes da exposição ao sol e reaplicados após nadar, suar e se secar com toalhas.

Para aqueles que insistem numa exposição prolongada ao sol fique alerta para os riscos de:

  • envelhecimento precoce
  • desidratação
  • lesões nos olhos
  • câncer de pele

Dicas importantes na prevenção do câncer de pele e na fotoproteção:

  • Protetor solar não confere proteção absoluta contra a queimaduras ou Ca de pele.
  • Reduza seu tempo de exposição ao sol e evite exposição solar entre 10:00 e 15:00 h (não considerando o horário de verão).
  • Escolha um protetor solar com pelo menos FPS – 15 (fator de proteção solar). Com FPS – 15 a maioria das pessoas está protegida por 2 1/2 horas.
  • Aplique o protetor solar 30 minutos antes de se expor. É preciso tempo para que o filtro comece a agir.
  • Reaplique o protetor solar quando você permanecer mais de 2 horas ao sol ou quando o filtro for retirado por contato com a água, suor etc. Existem também produtos à prova d’água.
  • Para quem trabalho ao sol cubra-se: use calças, camisas de manga comprida, chapéu de aba larga e óculos escuros de boa qualidade com proteção ultravioleta (UV).
  • Cuidados especiais devem ser tomados em praias, montanhas, onde os raios solares são ricos em Raios Ultravioleta.
  • Proteja-se de superfícies refletoras como areia, neve, concreto e água, que fazem os Raios Ultravioleta atingir indiretamente a pele.
  • Ensine as crianças a protegerem-se do sol desde cedo. Mantenha as crianças menores protegidas do sol usando foto-protetores adequados e expondo-as em horários mais favoráveis.
  • Os danos solares ocorrem a cada exposição, tendo efeitos maléficos cumulativos.
  • Esteja atento a qualquer mudança na sua pele.
  • Mesmo nos dias nublados (mormaço), sob a água ou através do vidro nos carros com a janela fechada a radiação solar está presente.
  • Não esqueça de protejer as orelhas, lábios, pescoço, dorso das mãos e dos pés e onde o cabelo está rarefeito.
  • FACA UMA VISITA FREQUENTE AO DERMATOLOGISTA!

SBDC.org.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s